Doenças dos Kingyos

      Abaixo relaciono algumas das doenças mais comuns em Kingyos, Carpas e peixes de água doce em geral e/ou agentes causadores de alguns problemas.     



HIDROPSIA
    Das doenças citadas acima, vou falar um pouco sobre a hidropsia, que além de me ter feito perder um kingyo há poucos dias, já me fez perder outros e parece que sempre sem uma proximidade de cura.
    
      A hidropsia na verdade não é considerada uma doença e sim um conjunto de sintomas que surgem com o decorrer de outras doenças. Pode ocorrer pela retenção de líquidos na cavidade abdominal, músculos, e pele dos peixes, com consequências em todos os órgãos. Ao ocorrer isso, o nível de proteínas do sangue diminui muito, ele se dilui. O peixe fica com insuficiência nos rins e coração. Por ele não conseguir eliminar água de seu organismo, ele incha, sua escamas se eriçam e aparecem lesões nas guelras e intestinos. A causa mais comum para a hidropsia aponta para a bactéria Pseudomona puntacta. O mais importante nesses casos ainda é a prevenção e o equilíbrio de todos os agentes de seu aquário, ou seja a saúde de todo o seu sistema. E outra dica é, acreditar em suas conclusões. Então se achar que não deve comprar aquele peixe pois ele não parece muito bem, não se deixe levar pela emoção e ansiedade, e se já comprou, mantenha - o em quarentena. O kinguio que perdi com essa doença, já apresentava sintomas de não estar bem, mas não quis acreditar em mim mesmo, aí me surpreendi de que estava certo quando já não tinha mais o que fazer.
   
      O tratamento que se pode utilizar é um antibiótico de largo espectro: terramicina na proporção de 50 mg por litro durante 5 dias, fazer uma troca de água em torno de 50% diária, ou tetraciclina na mesma proporção só que por ser mais instável, deve ser feita duas trocas parciais diárias de 50%. Adicionar sal grosso sem iodo na água pode ajudá - lo a eliminar a água retida no corpo (aproximadamente uma colher de sopa para cada 10 / 20 litros). Essa doença de difícil cura, quanto mais cedo detectada, maiores as chances de recuperação.


      Existe também a opção de Sera Baktopur Direct, podendo ser usado em conjunto com o Cyprinopur para os casos avançados.
PROBLEMA NA BEXIGA NATATÓRIA 

      Geralmente causada por escesso de alimento, de má qualidade, ou a não variação, o que produz muitos gases paralizando a bexiga natatória fazendo com que o peixe perca o controle sobre ela.

      Para não cometer erros, alimente seus Kingyos por apenas cinco minutos. 

      Caso seu peixe venha a ter esse problema, separe - o e adicione sal de epson (salamargo), que pode ser encontrado em farmácias, dilua previamente uma colher de sopa rasa para cada 20 litros de água e aumente a aeração. Em 3 ou 4 dias seu Kingyo estará nadando normalmente.

HERPES OU VARÍOLA DAS CARPAS

      Causada por uma infecção bacteriana, entre os vários tratamentos,pode-se fazer a raspagem do local (parece uma gelatina cor de rosa) e posterior aplicação de terracortil, existe também medicamentos da Será, como cyprinopur e sera koi bakto tabs.Porém se as condições da água estiverem ótimas e os peixes bem alimentados, (saudáveis) não vejo a necessidade de entrar com medicamentos, uma vez que em no máximo 03 a 05 dias deve passar.
LERNEA OU VERME ÂNCORA
      Você deve ministrar Dimilin (Diflubenzuron), com o cuidado de não deixar que o produto, atinja córregos ou lagos, devido à alta toxicidade para a micro fauna aquática, por isso é que o produto é controlado. Para peixes e mamíferos, nas doses citadas, a toxicidade é muito baixa. Pode ter certeza que logo seus peixes estarão livres da lérnea. Dose máxima, que foi de 2,4 gramas para o volume total de 10.000 litros. Só não esqueça de aplicar mais duas vezes, com intervalo de 7 a 10 dias, para eliminar as lérneas que agora estão em forma de ovo (os ovos não sofrem o efeito do Dimilin). Não aplique de jeito nenhum este medicamento em seu aquário ou lago, se em sua fauna houver crustáceos. Faça tpas no término de cada 7 dias da aplicação (antes de repor a medicação). Faça 3 aplicações e se neste período você ainda observar o problema, faça mais uma.
INTOXICAÇÃO POR AMÔNIA
      Alguns peixes são mais sensíveis que outros quando há algo errado com os parâmetros da água. 
Existem peixes que toda vez que a amônia ou o nitrito sai um pouco do "normal" já ficam com as barbatanas e calda com veias vermelhas. Melhora na filtragem e tpas. 
Cheque todo o sistema, bem como capacidade ltrs/peixes.



PIOLHO DO PEIXE OU ARGULUS


      A remoção deve ser feita com pinça, não tem jeito e o medicamento que pode ser usado após a remoção dos Argulus é o melafix, para ajudar na cicatrização. 

      Pode-se também tentar, dependendo dos peixes infectados, banhos em água com sal duas a três vezes ao dia e ainda Formol.
 
      Outra medicação indicada é o Anchor Away da PondRX. A função do Anchor Away da PorndRX é justamente essa: matar os ovos.


ÍCTIO OU DOENÇA DOS PONTOS BRANCOS



      É a doença mais comum entre os peixes de água doce. Causado por protozoário, perfura rapidamente a epiderme e se estabelece entre a epiderme e a derme, deixando um ponto branco, de fácil diagnóstico. Infectam um aquário em pouco tempo. Outros sintomas são nadadeiras fechadas e costumam esfregar-se nas pedras e troncos.
      Como o agente causador não se propaga pelo ar, a contaminação de um aquário sadio se dá pela introdução de um hospedeiro, que na maioria dos casos, pode ser um peixe aparentemente com saúde, pedras e/ou cascalho e, é claro, a água, proveniente de outro aquário, tanque, ou loja de peixes. Cistos de Íctio já foram encontrados, também, em plantas aquáticas, alimentos vivos, e outros animais aquáticos. Atenção especial também às redes e puçás de captura, e demais objetos usados em aquariofilia que entrem em contato com a água e permaneçam molhados.

      A temperatura, sendo um dos fatores de grande importância na vida dos peixes, contribui decisivamente para o aparecimento e desenvolvimento do Íctio. Isto explica porque uma epidemia ocorre sempre que peixes tropicais (infestados) são mantidos em temperaturas muito baixas ou, em alguns casos, peixes de água fria (também infestados) em temperatura mais alta. Pelas mesmas razões, a maioria das infestações por Íctio em peixes tropicais parece ocorrer, com mais freqüência, nas estações mais frias ou quando os mesmos são manipulados indevidamente, sem considerar a temperatura.
Sintomas 
      Pequenos pontos brancos (1mm de diâmetro) em todo o corpo do peixe: boca, nadadeira anal, dorsal, opérculos, nadadeira peitoral e etc. Esses pontos brancos não são o parasita, são os cistos, ou melhor as feridas causada por eles. Depois que o parasita se desenvolveu bastante o peixe fica com uma espécie de "cordão" branco, onde solta milhares de novos parasitas para contaminar outros peixes.

Tratamento
      Apesar de ser uma doença temida por sua velocidade de contaminação, não é díficil de tratar, veja o que você pode fazer:

• Elevar a temperatura do aquário para 30 graus;
• Aplicar um parasiticida de ação rápida;


O ícitio também é vulnerável a azul de metileno, portanto você pode optar por comprar remédios prontos em lojas de aquarismo.
Ou coloque sal grosso na água, 15g a cada 10 litros por curto periodo de tempo, uma semana, (lembre sempre que o sal não é muito benéfico às coridoras e peixes de couro);

O sal grosso é bom no tratamento de algumas doenças dos peixes, por exemplo, no tratamento do íctio. Você pode colocar o sal diretamente na água ou, ainda, diluir o sal na água a ser reposta nas trocas parciais ou, ainda, fazer o tratamento em um aquário de quarentena (ou hospital).
• Desligar as luzes do aquário durante o tratamento.

FUNGOS



      Com certeza são os maiores causadores de doença em peixes ornamentais, aparecem na forma de manchas ou em tufos semelhantes a algodão. Surgem por estresse, feridas, elementos infectados colocados no aquário e por peixes já debilitados. A cura pode ser feita através de TPA´S e fungicidas encontrado no mercado, o sal ajuda também.



ÁGUA MUITO ÁCIDA

      Nadadeiras fechadas, depósitos de cor cinza nas brânquias, aumento da frequência respiratória, escamas eriçadas, natação irregular, tremores, estas são as característica de um peixe que está sendo afetado pela acidez da água. Normalmente acontece quando não respeitamos as exigências de cada animal, como exemplo colocando um peixe alcalino em uma água ácida. A solução é aumentar o ph com tamponadores ou conhas moídas, pedras calcáreas, de maneira lenta claro, pois alterações bruscas matam.

ÁGUA MUITO ALCALINA

      Perda de brilho nas escamas, respiração ofegante junta a superfície, perda de escamas, esses são sintomas de um peixe em exposição a excesso de alcalinidade. Verifique o pH, e baixe-o com tamponadores, troncos, xaxim, também de forma lenta. Fique atento, toda a alteração de ph deve ser feita de 4 em 4 horas, nunca em intervalos menores.

COSTIA

      A Costia tem como sintomas a falta de apetite, manchas esbranquiçadas, produção excessiva de muco e ramificações avermelhadas nas nadadeiras, é causada pelos protozoários Ichthyobodo sp. (Costia sp.), Chilodonella sp., Cylochaeta sp. e Brooklynella sp. Ela atinge as guelras causando a morte do peixe e surge na maioria das vezes por queda de temperatura na água. Deve-se fazer a TPA, usar sal ou parasiticida de ação rápida.

OLHOS INCHADOS (pop-eye)

      Os olhos ficam saltados, bem inchados, podem ser causado por bactérias (tuberculose e hidropsia), por fungo (Ichthyosporidium) ou por vermes, podem ainda apresentar a barriga inchada e as nadadeiras roídas. O tratamento consiste em aplicar um parasiticida de ação rápida associado com um antibiótico.

BURACO NA CABEÇA (HOLE IN HEAD)

      É também conhecida como doença dos Ciclídeos, ataca principalmente os Acarás. Ela ataca os órgãos internos do animal, causando danos irreversíveis, ainda aparecem pequenos buracos na cabeça e corpo do animal, não possui um grau elevado de contaminação, é causado pelo protozoário Hexamita sp. O tratamento pode ser feito com medicamentos a base de Dimetridazole e Metronidazole, além de rações medicadas.

OODINIOSE (Oodinium pillularis)

      O Oodium cria uma camada brilhante nas escamas e nadadeiras, como se fosse um veludo, variando do amarelado ao dourado, o peixe perde o apetite e fica com a respiração acelerada. Pode devastar o aquário em algumas horas, por isso, o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, deve-se elevar a temperatura do aquário por alguns dias e usar uma combinação de fungicidas e parasiticidas.

FUNGO NA BOCA (COTTON MOUTH)

      É causada pela ação da bactéria Flexibacter columaris. Possuí como característica a presença de pequenos filamentos ou tufos de algodão formando uma grossa camada ao redor da boca. É comum a ocorrência simultânea de fungos. O tratamento pode ser feito com TPA´S, sal grosso e fungicidas.

      Em geral, podemos entender que diversas doenças são causadas em nossos peixes devido à falta de conhecimento, pressa na hora de introduzir um peixe novo no aquário e falta de critério na hora da compra, alterações bruscas nas características naturais da água como amônia, ph, nitrito.


      Segue aí um site com um guia um pouco mais completo das doenças que afligem os Kingyos. O site está em inglês mas com o tradutor online, tudo se resolve.




ads p cel